UPDATE: Another Earth

Sobre essa postagem aqui: Melancholia Parte 2 e Parte 3, acabei de ver o Another Earth, e bem… grande equívoco meu chamar ele de qualquer coisa próxima ao grande Melancholia(2011 – Lars Von Trier). Não recomendo o Another Earth.

O filme tenta o tempo todo fazer alusão realmente à Melancholia, com todo o imagético de cores azuis, e de pânico do que pode haver nesse novo planeta, já que ele se mostra como uma cópia idêntica da Terra, e por também ser habitada por seres vivos. Mas onde o filme deveria se destacar e se diferenciar, ele falha completamente.

A história se constrói em cima de um acidente de carro que acontece logo no começo do filme, e o impacto dele na vida dos envolvidos… e bem… vamos aos spoillers. Continuar lendo

Anúncios

Melancholia, parte 2 e parte 3?

Não fui muito ao cinema no ano passado, e nas poucas vezes que eu fui, fui ver repetidamente alguns filmes. Um deles (o melhor de 2011, para mim) foi Melancholia. Estava de férias do trabalho na época, e cheguei a assistir o filme umas 4 vezes na sessão cult (já que o mesmo não estreou aqui na cidade no período normal).

Enfim, eis que depois de muito reassistir Melancholia (e aquele prólogo incrível <3), esbarrei essa semana com dois outros filmes com a mesma temática. O primeiro também é de 2011: Another Earth

A sinopse é a seguinte: “Nas vésperas da descoberta de uma réplica do planeta Terra, uma tragédia altera irrevogavelmente a vida dos dois estranhos, um compositor consagrado e uma jovem estudante ambiciosa cruzam seus caminhos em um trágico acidente e ao se conhecerem começam um caso de amor.”

Lembraram de alguém? Lembraram de alguém? Tô doido pra ver se essa semelhança toda, também reflete a qualidade do filme, por que né? No link do nome do filme, tem o link pra download, desse blog que eu amo, por sinal.

Já o outro “parecido” com Melancholia, e tá para sair nesse ano, é Upside Down. Na história, Adam (Jim Sturgess) e Eve (Kirsten Dunst) são habitantes de dois universos paralelos, separados e atraídos por forças gravitacionais, que se apaixonam. Embora os dois mundo interajam, é proibido atravessa-los permanentemente, logo, o amor dos dois é impossível. É parece que o diretor Juan Diego Solanas veio com tudo!

Esse é bem mais elaborado, vi o trailer dele, e fiquei arrepiado o tempo todo. Sério.

CHORANDO ESTARÁ AO LEMBRAR DE UM AMOR QUE UM DIA NÃO SOUBE CUIDAAAAAR. (e vê se não chora também, tá? :’/ )

Esperei agora na porta quando você saiu, e as horas passaram como se não fossem mais voltar. Devo ter decorado todo os detalhes do muro vermelho do vizinho arquiteto da frente, tentando mentalmente não assimilar o que aconteceu, achando que você ia pensar que eu era um babaca e que eu devia assumir tudo isso, e que eramos tudo isso, e que estávamos fadados à tudo isso, e que tudo isso mesmo era o que sempre desejávamos, como um lugar onde ficaríamos sem ar de tanto trocar olhares, mãos no joelho, beijos, bebida no copo e comida na boca.

Não que eu não fosse resistir esperando você voltar, mas na confusão esqueci de deixar o notebook carregando, e algumas horas e poucos minutos depois, ele anunciava que iria apagar. Pensei em nós, e pensei nos vizinhos que já haviam ouvido aquilo tudo. Entrei e a cara em preto e branco da Kirsten Dunst me fizeram sacar que dessa vez eu sujei e vez a parada. E a parada deu uma parada. Mas se eu tivesse ido te pegar de volta na parada, tudo teria ficado bem. Por que eu só esperei?

Sometimes I just hate you so much Justine. (ponto)