Das 5 às 7, e a França de bem antigamente.

Nunca sofri dessas nostalgias todas que as pessoas sofrem por épocas passadas, pelos períodos antigos, anos 70, 80, e afins. Sempre gostei do tempo que vivo, e das coisas que posso usufruir atualmente. Também não me imagino como um desses ultra futuristas. Mas assisti essa semana, um filme que conseguiu me evocar essa nostalgia que nunca tive:

O filme é de 1962, todo em preto e branco, digo, o começo, bem marcante por sinal… de uma leitura de um tarot, é colorido.  Todo o restante do filme é em Preto e Branco. E se passa numa França linda. Sério. E o nome do filme basicamente resume a sua sinopse. É a passagem de tempo das 5 às 7 horas na vida de Cléo, uma cantora francesa, enquanto espera por um exame médico.

Quando li a sinopse completa, fiquei com medo, pensei logo, CANTORA FRANCESA? Vai ser musical? Não suporto musicais… Mas não, não é musical. Para não dizer que não vemos o poder vocal da Cleo, há sim uma apresentação rápida dela… mas ela é tão bacana, e tão digna, que até vos apresento aqui:

E o filme todo faz boas referencias rápidas e despreocupadas à época, a dominação européia nos territórios africanos, crescimento do trânsito, e até os problemas de saúde da Edith Piaf. Também consegue ser atual. Cléo é solteira e independente, e tem as suas preocupações quanto à vida, amor e morte bem exploradas.

Pensei que o filme seria bem chato e enfadonho, mas não é. É divertido e rápido. Não vou me estender comentando muito, porque esse filme realmente vale a pena ser assistido, então… como eu sou bomzinho, tem link pra download aqui. Baixem e digam o que acharam! 😀

Anúncios

DJ DE ÔNIBUS? CHUTE NA VELHINHA?

HAHA, quem me conhece sabe a minha opinião sobre os “rechaças”, que se acham grandes figuras cosmopolitas, donas do mundo inteiro e de idéias melhores que as dos outros.

Bem. Eu não curto esse tipo de pessoa, sou daqueles que considera que para ser cidadão do mundo antes de tudo você precisa ser educado, e que para conquistar seu espaço você não deve sair por ai empurrando as pessoas. E deve ter sido com esse pensamento que veio essa campanha linda da RATP, os operadores de transporte público de Paris. Sensacional!

Casamento perfeito entre imagem e redação! Sacaram as rimaszinhas espertas? HEHE. Eu praticamente vivo em ônibus(apesar de ter a carteira, mas pouco usá-la cof-*alcoolatra*-cof), e acho super válido que as pessoas entrem mais nessa vibe da gentileza-gera-gentileza.  Ou seja… vamos aproveitar para nos inspirar e dar o lugar praquela velhinha simpática, ou pegar a bolsa de alguém hoje no ônibus/metrô? 😀

Ou seja. Bom dia, boa tarde e boa noite! Educação é o básico! Mais informações sobre a campanha: http://www.ratp.fr/fr/ratp/r_50305/restons-civils/

Declarem guerra contra a mesmice. Declarem guerra contra o achismo.

Não sei onde eu me perdi na minha ansiedade digital, mas passei a achar que tudo que era inovador e bacana, demoraria a acontecer aqui por perto. Mas num é que eu me enganei? Não sei se vocês viram, mas algo que começou como uma “guerra” entre empresas de desenvolvedores de jogos, e agências de publicidade… se espalhou por toda Paris forma mais linda e convidativa possível. Como? Através da arte!

O movimento carinhosamente batizado de “La guerre des Post-it” não para de crescer… e tem virado aquilo: Que prédio tem a criação mais louca? Quem fez o maior? Quem usou mais post-its? E nessa onda, toda a capital tem ganhado novas cores e formas! Daí que eu num esbarrei com um desses nessa semana pela cidade? Tá lá na cerca da UFRN, perto do viaduto/DEART. Era um Pikachu lindo! Qualquer dia desses que estiver bem desapegado da minha hora do almoço passo lá para tirar umas fotos (Ou alguém bem que poderia tirar pra mim né? rs). Enfim… ficam aqui mais obras do pessoal:








*Imagens do: http://www.mymodernmet.com/profiles/blogs/post-it-note-wars