Let’s be alone together

Harry Booth.
Há um processo inerente ao que chamamos de amar, que vai diminuindo muito do que somos para justificar o que nos tornamos juntos, sem que o outro também perceba que está mudando. E assusta.

Ia escrever amar entre aspas, como estou escrevendo “agora”, mas achei que estaria te colocando no meu abrigo escondido, esse seu mesmo abrigo escondido em que costumo ficar quando o resto fica sentido, como isto está ficando agora.

A verdade é que talvez eu não gosto de admitir o quanto acho que não preciso dos outros quando estou com você, mas eu não acredito que isso aconteça de outra forma.

Don’t Photoshop My Heart #11

Não é realmente nenhuma novidade a minha incapacidade de conseguir lidar bem com toda a situação que está rolando. Não sei se fiz o certo, mas certamente o fiz. Acho que foi a decisão mais “coração” que tomei nos últimos tempos, e põe tempo nisso, its not being easy. É meio louco, e sinceramente não consigo por em palavras.

A mixtape tem uma vibe meio misticismo, e é sobre crenças. Quero acreditar que tem alguma coisa boa pra acontecer, e me seguro nisso. O título da capa da mixtape já foi “Um pedaço de todas as coisas boas do mundo”, mas agora eu só consigo olhar pra essa foto e pensar no quanto eu quero mudar. Me mudar. Se você tem um grande amor na sua vida, ou um amor baixinho, realmente não importa, aproveite. Aproveite.

The Do – Slippery Slope
Florence and the Machine – Heartlines
Black Mountain – Wucan
Of Montreal – Bat Macumba (Cover de “Os Mutantes)
Cat’s Eyes – Over You
Kate Nash – Mansion Son
Lykke Li – Jerome
Massive Attack – Paradise Circus
Black Black Hills – The Celebration
Warpaint – Elephant
Air – African Velvet

Pra ouvir: http://tinysong.com/p/558ec

(Se alguém quiser alguma faixa, é só dar o toque que envio… )

Feliz dia do caminho que eu decidi seguir

Daniele Coletti 9

Dia 01 de fevereiro, pra quem não sabe, é um dia mega importante para mim. Além dos motivos não tão óbvios, que não cabem eu ficar escancarando aqui, é o DIA DO PUBLICITÁRIO! Um salve por isso! Salve!

E já deixo aqui a dica de presente para nós (que em boa parte, curte uma boa bebida). Garrafas iluminadas!

Daniele Coletti 5

Idealizadas e realizadas pela designer italiana Daniele Coletti, o projeto batizado de Ciucalegra começou com 40 garrafas das melhores bebidas. E através do uso de lâmpadas de led, consegue uma ótima iluminação, que ainda consegue ser duplamente ambiental (pela reciclagem das garrafas, e pelo baixo consumo de energia das lâmpadas).

CiucalegraCiucalegra

Daniele Coletti 2

Ótima dica de presente duplo pra um bom criativo hein? Secam a garrafas juntos, e depois entrega o verdadeiro presente! A peça me lembrou a ação de lightpaint realizada pela Absolut no lançamento da Absolut Glimmer. Durante 5 dias de transmissão ao vivo, milhares de pessoas enviaram palavras através do Twitter e Facebook. As 100 mais excepcionais foram escolhidas e viraram grandes obras na mão dos artistas.

WOW! (Vi aqui.)

Janeiro, som e silêncio, luz e sombra. 2012. Acredito!

Foto minha mesmo. :)

Janeiro. E como se o ano ainda não tivesse começado, e nos obrigasse ao silêncio, cada um olhando para dentro de si e perguntando: “Quem é você que comigo se parece, mas a quem não sei reconhecer?”. O nome que vaga, a palavra que paira. O som que não toca.

Devo ter lido algumas dezenas de listas dos melhores do ano que passou, mas ainda não encontro algo que me toque nesse ano que começa. E se eu espremesse meus ouvidos com muita força para ouvir melhor, como se espremem limões bem verdes… talvez deles tiraria o que nunca me foi de direito, mas aceitei por respeito ao que se sucedeu. E mais uma vez, silêncio.

O tempo cessou de existir na praia, no começo da madrugada, a ampulheta cessou de medir as horas, imobilizada pela voz dos poetas, as canções de uma outra época, a lua temporal e, sobre as calçadas, tocava com pau e lata um cântico qualquer para Iemanjá. E o sorriso que era realmente um sorriso se acende. Olho minha sombra laranja dançar no calçadão, e ela podia ser a sombra de qualquer um. Mas é minha.

E eu acredito. E como acredito, viu? 🙂

* A foto é minha mesmo, lá em Pipa. Pense num lugar bonito viu? O vídeo é do pessoal do Pau e Lata, sempre acompanho eles! Curto muito! Também em Pipa.

CHORANDO ESTARÁ AO LEMBRAR DE UM AMOR QUE UM DIA NÃO SOUBE CUIDAAAAAR. (e vê se não chora também, tá? :’/ )

Esperei agora na porta quando você saiu, e as horas passaram como se não fossem mais voltar. Devo ter decorado todo os detalhes do muro vermelho do vizinho arquiteto da frente, tentando mentalmente não assimilar o que aconteceu, achando que você ia pensar que eu era um babaca e que eu devia assumir tudo isso, e que eramos tudo isso, e que estávamos fadados à tudo isso, e que tudo isso mesmo era o que sempre desejávamos, como um lugar onde ficaríamos sem ar de tanto trocar olhares, mãos no joelho, beijos, bebida no copo e comida na boca.

Não que eu não fosse resistir esperando você voltar, mas na confusão esqueci de deixar o notebook carregando, e algumas horas e poucos minutos depois, ele anunciava que iria apagar. Pensei em nós, e pensei nos vizinhos que já haviam ouvido aquilo tudo. Entrei e a cara em preto e branco da Kirsten Dunst me fizeram sacar que dessa vez eu sujei e vez a parada. E a parada deu uma parada. Mas se eu tivesse ido te pegar de volta na parada, tudo teria ficado bem. Por que eu só esperei?

Sometimes I just hate you so much Justine. (ponto)

Carta não-enviada por: Eu mesmo, 22 anos.

HAHA, dia inteiro em casa, tava dando uma revirada agora nas minhas redes sociais antigas, e esbarrei com esse texto que escrevi e postei no meu fotolog. Pois é. Quem nunca teve um né? Ops. Tá, teve gente que passou pela adolescência incólume sem isso. Mas enfim. Dessa vocês não escapam. Quem nunca teve um daqueles amores arrebatadores, e parece que o seu primeiro encontro com ele é todo mágico, e todo incrível e parece que vai ser a redenção para todos os seus dramas internos? HAHA, pois é.

Também não escapei disso… e foi assim como eu vi o meu “first date” do date que tem dado certo até hoje… Direto do túnel do tempo:

O tempo cessou de existir na praia, no começo da madrugada, a ampulheta cessou de medir as horas, imobilizada pela voz dos poetas, as canções de uma outra época, a lua intemporal e, sobre a grama, eu sempre terei quase 20 anos. E o sorriso que era realmente um sorriso se acende.

Olho minha sombra laranja dançar no calçadão, e ela podia ser a sombra de qualquer um. Mas é minha. E pertence ao mundo dos homens fodidos, tomados pelos paraísos artificiais e pelo pecado venal, apaixonados por todos aqueles que ainda não possuíram, os quais fatalmente acabarão terminarão sozinhos…

Vejo tudo isso. E sinto vontade de mudar.

Todo esse tempo, todos esses rostos, todos essas risadas inconseqüentes, e os meus amigos que me acompanharam até aqui… todos estavam lá. Esses abraços prolongados de manhãzinha, quando não é noite e nem é dia, o seu sorriso se abre então, e seus olhos se descerram, olho pra cima e já amanheceu, Nietsche está morto, e eu agradeço por isso. Eu acredito em Deus, eu acredito no diabo… eu acredito em tudo que já me foi falado.

Sinto frio sem meus sapatos. E não bebo aquela vodka. Queria que velas iluminassem aquela noite. As estrelas dançavam como se dança o yeah yeah yeahs… griséus no lusco-fusco da alvorada que se insinua através dos coqueiros, um cenário engraçado, sempre o mesmo.

 

* A foto lindona, eu vi aqui e é da fotografa Lauren Fleishman de um projeto incrível com fotos de casais de velhinhos, que ela começou após ter encontrado algumas cartas de amor do avôzinho dela(que morreu) para a avó. Ai ai… *suspira*